28 de fev de 2005

Rebelde sem causa

Enquanto eu assistia Aos Treze, fiquei pensando na minha adolescência.
O filme conta a história de uma adolescente boazinha que conhece a garota mais fodona do colégio e que deseja ser igualmente popular.
Elas começam a ser amigas e ai vem todo aquele lance: Garotos, sexo, piercings, drogas, blá...blá...blá!

Não que tenha sido um puuuuta filmão, mas lembrei-me bem de quando eu tinha meus 13, 14 anos. Eu fui bem rebelde, daquelas sem causa, que brigava a beça com meus pais e achava que todo o mundo era louco.

Eu achava que tinha o direito de fazer qualquer coisa, que já era adulta e que os limites impostos principalmente pelo meu pai eram extremamente retrógrados.

Ele me controlava e eu tinha que ter hora para tudo: a volta da escola, do cinema, de alguma festinha...
Isso me deixava possessa!

Então eu esperneava, me trancava no quarto e ficava mirabolando planos e vingancinhas, que nunca aconteciam.

Rolava uma necessidade enorme de ser aceita no grupinho da escola. Seguir tendências, comportamentos e atitudes. Lembro que todas nós que andávamos juntas começamos a fumar na mesma idade e a mesma marca de cigarro. Hoje eu acho graça de algumas coisas.

Então eu pergunto:

Todo adolescente é meio revoltado por natureza?
Essa raiva vem do descaso dos pais?
É frescurite ou só vontade de gritar bem alto: Eu estou aqui para o mundo?

Nenhum comentário: